O PSOL CONTRA O IMPEACHMENT

“A caracterização que fazemos dos governos Lula e Dilma, um governo de conciliação de interesses de classe, é a mesma caracterização que os setores mais duros da burguesia fazem. Para eles, esse governo também tem um vício: é um governo de conciliação de interesses de classes. Porque para os setores mais duros da burguesia, nenhuma conciliação com os interesses das classes trabalhadoras é permitido. Por isso o movimento do impeachment. Por isso o combate dos setores da grande imprensa, da representação política da ala mais dura da burguesia contra o governo Dilma, contra o governo Lula. Não porque fossem governos de esquerda. Não porque fossem governos das classes trabalhadoras. Mas porque para setores da burguesia brasileira até a conciliação de interesses de classe é demais para aceitar. (..)
A nossa luta contra o impeachment não é apenas por uma questão de legalidade. Não é apenas porque foi o Cunha que abriu o processo. É porque a correlação de forças nos coloca: quem se apresentará como alternativa de poder mais imediato? É a direita mais dura. Não é a alternativa de esquerda”.

Trecho da defesa de tese “Unidade Socialista por um Psol popular” realizada no 5º Congresso do Psol, em 6 de novembro de 2015.