SOBRE CORAÇÕES E MENTES

SOBRE CORAÇÕES E MENTES
O massacre da favela do Salgueiro em S Gonçalo segue um roteiro conhecido. É o roteiro do massacre de My Lai em 1968 no Vietnam ou do massacre de Wiriamo em Moçambique ,1972.
Tropas americanas identificaram a existência de uma base Vietkong próximo da aldeia de My Lai de onde saiam ataques e emboscadas frequentes. Incapazes de localizar a base, os oficiais americanos resolveram retaliar a população civil massacrando 400 pessoas. Era a época em que os EUA usavam o lema “disputar corações e mentes” para vencer a guerra.
Essa mesma retórica o exército colonial português usava em Moçambique:”disputar corações e mentes” . A guerra psicológica. Em dezembro de 1972 uma emboscada da Frelimo atingiu uma coluna militar portuguesa na região. Em retaliação uma Companhia de Comandos do exército colonial atacou e matou centenas de civis na aldeia de Wiriamo . Sobreviveu um garoto de 2 anos adotado como mascote pela companhia. Seu nome era Tomé. Eu o conheci.
Um sargento da PM foi assassinado em S Gonçalo. A polícia imagina que os responsáveis saíram da favela do Salgueiro. Invadem a favela em retaliação e matam quem aparece pela frente. Foi assim meses atrás no Jacarezinho , foi assim anos atrás na Maré.
No Vietnam, em Moçambique e no Rio de Janeiro ao fracassar na disputa de corações e mentes a saída das forças militares é assassinar as mentes e os corações.
Até quando?